domingo, 26 de janeiro de 2014

Tenho cá pra mim ...

...que realmente a vida é complexa.
Não é ser complicada, ou complicarmos, simplesmente não estamos em sintonia com ela, factor esse que nos permite descomplicar a dita.
Ninguém já tem paciência para ninguém, e reparar é mais chato do que comprar de novo .. ainda por cima tão baratinho...
Uma vez mais encontro no sexo, e por sexo entenda-se, a verdadeira união entre duas pessoas num momento íntimo, seja integrado de amor, quer seja apenas dirigido pela paixão fugaz, a solução para os males do mundo.
Sei que já o disse várias vezes, mas repito de novo, porque se repararem é a única altura em que somos realmente parte da vida por sermos parte do nosso semelhante.

E é isto.

PS: Ando a concorrer num concurso de Poesia do Pedro Chagas Freitas e até tenho considerado que as minhas são minimimamente fixes (mas isso sou eu e gostos não se discutem) ainda assim como este blog é de teor sexual deixo-vos o link da poesia que ganhou o primeiro desafio e, passando a redundância, deixo-vos o desafio de me dizerem, cruamente, o que acharam dela. É que isto anda-me atravessado. E quem sabe voces podem ter a visão que eu preciso para amargar ou para me adocicar a auto-crítica.
Aqui fica:
http://campeonatodepoesia.blogspot.pt/
Obrigada.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O coçar de uma comichão

Isto das alergias anda a atirar-se em força ao meu rico corpinho. Quer-me foder basicamente. Mas neste caso eu não deixo porque é chato. A única foda permitida é aquela em que tenho prazer e enquanto tiver mais prazer a mexer numa pila do que a coçar o nariz nunca na vida deixarei a alergia foder-me.
E é isto.
Tenho dito.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Balanços

Qual de vós seres da terra nunca sobre vós sentiu
A prisão de ventre que dá o farelo
Atirem pois a primeira pedra também aqueles que
Já se sentiram parabenizados com um sorriso amarelo.

Qual de vós já sentiu também
Que tudo num dia vos correu de feição
E no dia imediatamente a seguir
Só vos apetece bater com os cornos no chão?

Qual de vós meus senhores
Nunca quis desprender aquela pedra do chão,
E atirando-a subitamente ao ar
Acertassem naquele grande cabrão?

Morra quem se negue a acreditar
Nas incumbências do que chamamos destino
Ou então morrer é demasiado
Que se lhe prenda o intestino.

E com tal arauto de merda
Termino pois por aqui
E a todos os senhores da azia,
Oferto-vos feliz uma caixa de Rennie.







quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Dizem os entendidos que

.. a música que ouvias ali pela adolescência, namely 15 anos e tal que define todo o teu gosto musical...
Se calhar eu ter crescido num bairro, ouvido hip hop e rádio orbital influenciou este meu gosto por Dealema e trance ...

Acho que o hip hop ainda vai ser sem parar porque ele me sai do corpo sem eu saber/querer.
E isto faz renascer em mim a eterna questão para a qual ainda não tenho resposta:
O que é que nos define afinal?
Porque gostamos de certas coisas?
Porque é que embirramos com determinadas pessoas sem as conhecer?
Porque é que somos céticos?
Porque é que agimos de determinada forma?
E porque é que eu tou preocupada com isto pensam vocês ...
Atão.. porque eu não posso só pensar em foder.

É só por isso ..


quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Note to self

COMO EU AMO SUSHI... em rolo grosso, não partido.
My name is Maria, Eva Maria.

Fui

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Ao homem que fui na minha vida anterior

Tenho uma teoria extensamente discutida com o meu Adão sobre o facto de eu ter sido um Homem na minha vida anterior e ele uma gaja ... (a minha "puta" basicamente) e que prometemos um ao outro continuar a foder desalmadamente para lá daquela vida com os respectivos mas que, para podermos saborear a coisa, iríamos mudar de lado e renascer eu como "puta" e ele como Homem, sendo que na próxima vida voltará o ciclo ao início e assim por aí adiante.
E porque carga de água faço eu este interlúdio rídiculo pensam vocês?
E eu respondo.
Porque quero fazer o elogio ao homem que fui noutra vida e ver se resgato aquilo que vocês Adões são tão mais capazes de fazer e que consiste na exímia capacidade de mandar foder tudo e todos e simplesmente cagar quando a coisa começa a ficar complicada.
Ora agora a sério Homem que fui, já que em mim ainda prevalece aquele pedaço de ti que consiste na vontade de foder all over e over and over será que não podias enviar por aí pelo meio de um buraco no espaço-tempo ou fazer uma corda lá da teoria vibrar de forma a que me chegasse essa capacidade brilhante de não se ralar com nada? Ou de simplesmente descomplicar o complicado?
É que nestas alturas sinto-me mesmo Eva e pouco engenheira, complica-se-me tudo e ralo-me com tudo e esta mania de tentar ser uma pseudo madre teresa de calcutá e de não dar chatices é uma merda.

Tenho dito por hoje.

Homem que fui lembra-te lá de mim "faxavor" e "amanda-me" lá um bocado do relaxamento que tinhas quando te recostavas no carro de bois a coçar os tomates e a palitar os dentes com uma espiga de milho ...
Muit'agradecida!


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Estou aqui cheia de vibrações

Se eu disser que quero foder desalmadamente perdoam-me?
AH e apetece-me mandar, fazer o que quiser, percorrer cada pedacinho, trincar cada décima de pele, e esfregar-me numa loucura tal que fique extasiada ... pelo menos nesse dia.
É estou assim cheia de vontades superlativas.

Descobri porque gosto tanto de Adões montados em motas/bikes...

Main point: Estão montados...
Second point: São os cavaleiros da actualidade só que substituiram os cavalos por algo mais evoluído ihihih

Beijinhos a todos!

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Hoje tenho que vos agradecer

Ia praqui começar a arrotar postas de pescada visto que ultimamente é tudo aquilo que eu tenho sabido fazer mas só me resta esboçar um sorriso alegre e espontâneo porque vocês têm feito aqui da Eva Maria uma Eva babada e já com algum mérito no meio blogosférico senão vejam:

Ah pois é !
Afinal de contas há uma magia inerente às postas de pescada que eu mando aqui no estaminé...
E por isso desejo que tenham boas quecas e boas festas e festinhas durante este ano todo!
Há quem decrete um ano de luto nacional eu decreto um ano de foda épica!
Seems fair ?

Beijos

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Eu sou tão teimosinha valha-me Deus

Ai não deu para fazer uma madeixa azul na passagem de ano?
Ai ficou cinzento-amarelado?
Atão CONA!!!!
Agora está magenta, pintado por mim e eficazmente 2.15Eur mais barato...

Isto de ser Eva tem muito que se lhe diga no que toca a glamour capilar ^^

DEAL WITH IT!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Querido universo

Uma perguntinha...

Porque é que eu tenho que estar com o período????
Tipo, eu percebo que morreu o Eusébio (e peço desculpa aos mais sensíveis pela menção deste grande nome mas para quem não entende e vai ficar muito ofendido quando ler, isto chama-se humor mórbido) e que ele era do Benfica  mas ... a sério? É que vao mesmo ser mais 3 dias de luto regional aqui na minha margem sul e eu precisava mesmo de um belo esfreganço só para me abstrair ...

é que hoje estou a trabalhar de mais.


domingo, 5 de janeiro de 2014

Vamos fazer de conta

Do pouco que ainda sei da vida apercebo-me que muitas vezes fazer de conta é uma boa solução para problemas complexos, outra é ir dormir.

Até amanhã.

Da contemplação assumida do exterior que engrandece o contemplado

Dizem os espíritos que andam por aqui a circular que este post vai ter um tom azedo por isso preparem-se.
Diz-se por aí também que aquela questão de as pessoas idealizarem para si uma vida que não é a sua é muito comum, natural e muitas vezes se absorvem nisso para fugirem à sua própria vida miserável e que de "accomplishements" tiveram pouco ou nada.
Diz-se por aí também que a beleza é preciso sim senhor, e que há o tal estereotipo de que as meninas bonitas per si, são burras que nem uma porta e te-vão-por-um-par-de-palitos-assim-que-virem-outro-mais-giro-que-tu... é a mesma coisa que aquele assunto dos PT's que eu também trouxe a este humilde blog há uns dias atrás.
Se eles são PT's é porque na verdade só vêem na maioria do tempo que passa cronologicamente corpos perfeitos e idealizações de fodas geniais (mas provavelmente curtas que isto dos esteróides só aumenta em cima) entre barras de ginásio.
Agora vem aqui a minha azia... se há uma preponderância para a queda e apreciação deste estilo de pessoas, meus amigos, caiam, mas não o façam à minha frente, que eu fico com tal sentimento de repugnância que só me apetece vomitar-vos em cima (para ser simpática).
Sei que a galinha da vizinha é sempre mais gorda que a minha e que a comparação é uma filha da puta que nos consome desde o primeiro dia das nossas vidas em que os nossos papás nos mostram à civilização e há logo a puta comparaçãozinha emergente sob a forma simpática do "ai tem os olhos da mãe" "o queixo do pai" ou "nao tem nada a ver com os papás.. deve sair ao avô"....
Se eu devia gastar o meu latim e a minha raiva com isto? Se calhar não devia, se calhar devia apenas deixar o futuro fluir porque ele sabe perfeitamente para onde vai e a quem vai dar lições... e graças àquilo que me tentam tirar (mas que permanece em mim cada vez mais viva), a minha intuição, diz-me que no fim de contas eu me vou rir ... e muito.

 Ainda dizem que as pessoas do bairro não sabem... sabem e muito!

Beijinhos a todos!!!!!

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

O melhor início do ano

Querido ano de 2013,
venho por este meio informar que me encontro de momento a congratular-te por teres sido estrondosamente generoso comigo ao presenteares-me com o melhor Adão do mundo, ou se não é o melhor, ao menos para mim assim o parece e por isso fico feliz.
Quero também dizer-te que te disse adeus debaixo de chuva, num pátio de igreja (qual beata que gosta de se prostrar de joelhos) e de champagne e sem passas na mão, mas tu passaste por mim e só dei conta porque os festejos no terreiro do paço também se ouviram pelos anjos.
Desta feita quero fazer-vos roer a todos de inveja porque o meu início do ano foi tão bom quanto o dia em que conheci quem me fez gemer pelo início do dia e tarde a dentro.
Pois é meus amigos ... comecei o ano a foder. E que belas quecas. Ora foi de noite, pelas altas horas da madrugada que ele enterrou o sábio nas profundezas do meu ser quente e húmido (que não derivou da chuva que apanhei), ora foi pela tarde a dentro, e pelos buracos a dentro tocando em pontos nunca dantes navegados e só não experiênciados em total êxtase porque o barulho não se podia fazer visto termos pessoas do lado de fora da porta... era má onda mostrar que estávamos a repetir a dose realmente ...

E assim foi, assim fui, e assim comecei o ano, de doce mel entrepernas e num extasiado olhar sob um corpo nu que para mim, digam o que disserem, é perfeito.


PAMMMMM