sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Quando aquela ideia louca ...

... se concretiza.

Há lá coisa melhor do que estar a ter uma ideia e concretizá-la,
ao mesmo tempo que te apercebes que a outra parte, já vinha também a magicando essa mesma ideia desde que ambos saíram de casa.


A cama era de peluches e os móveis eram repletos de autocolantes.
Os sonhos molhados que se haviam tido naquelas quatro paredes tinham sido solitários,
um tanto ou quanto tristes de desejo não concretizado,
e que a racionalidade fazia prever que nunca se poderia efectivar nada mais do que sonhos e desejos.
A esperança é a última a morrer dizem os antigos. A minha já tinha morrido há que tempos.
Todavia, subitamente e sem dar conta,
uma oportunidade mínima, minúscula e tão pequenina,
decide, por meio de duas mentes interligadas, conexas, e ardentes de paixão,
transformar-se no êxtase de ser-se a dois,
numa casa que me possuía também, mas de uma forma dantesca.

 


Tenho dito.

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Agr que tenho uma casa, andei a pinar na outra :p ihihi

      Eliminar
  2. Estás muito romântica, boazona...será que estás apaixonada?
    Ai o caralhinho...
    :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Jorginho, já sabes que a Eva maria mistura os dois! Sou uma romântica DE caralho :P

      Eliminar
  3. Eu percebi mal ou andas a fazer o amor em casas de família? (a tua lool)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois claro que sim! É pra aproveitar aquilo que sempre se desejou mas nc foi possivel pq havia sp gente em casa ahahah

      Eliminar
  4. Muito bem...É o que eu percebi?
    Boa*

    ResponderEliminar