segunda-feira, 17 de junho de 2013

Não percebo

Confundes-me.
Deixas-me embrenhada no teu cheiro e na tua selvática forma de me pegar pelas ancas
e depois despedes-te de mim com um beijo que de tão próximo quase te senti a alma.
Ainda assim é uma alma difusa, um nevoeiro que não consigo perscrutar.
Há algo em ti que não sei se quero, porque não conheço.
Há algo em ti que não me deixa ver o teu interior.
E aqui fico, ansiosa por mais um pouco de ti,
Por mais um encostar a uma parede,
Por um chegar perto,
que agora
já queria
de uma
forma
doce.


2 comentários:

  1. estás uma poeta eva!!!

    foi o adão?!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pastora.
    Eu preciso é de ir pó campo pastar que isto de pensar dá dores de cabeça!

    Qual adão? respectivo já não tenho ...
    é masé o colega de trabalho!

    ou quer ou senao quer COOOOONA!!!!!

    ResponderEliminar